Aeroportos de Brasília, Ribeirão Preto e Galeão terão testes do ‘Embarque + Seguro’

Aeroportos de Brasília, Ribeirão Preto e Galeão terão testes do ‘Embarque + Seguro’

O projeto Embarque + Seguro 100% Digital, com uso de reconhecimento facial para a identificação de passageiros, será testado, em breve, em pelo menos mais três aeroportos do país: Brasília, Galeão, no Rio de Janeiro, e Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. A informação foi adiantada nesta quinta-feira (24) durante o painel destinado à aviação civil da 2ª Digital Week do Ministério da Infraestrutura.

Desenvolvido pelo MInfra em parceria com o Serpro e com a Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, o projeto já foi aplicado até aqui nos aeroportos de Florianópolis (SC), Salvador (BA), Belo Horizonte (Confins), e, mais recentemente, na ponte aérea entre Santos Dumont (RJ) e Congonhas (SP).

“Esse projeto era um sonho e está totalmente alinhado à Lei Geral de Proteção de Dados. Ninguém é obrigado a participar. A gente só permite a identificação mediante a um consentimento expresso da própria pessoa e para isso contamos com o Serpro”, destacou o coordenador-geral de Facilitação e Desempenho Operacional da Secretaria de Aviação Civil do MInfra, Paulo Henrique Possas.

Segundo Possas, a Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) já trabalha na adesão de aeroportos e companhias aéreas para implantação do serviço de maneira definitiva. Com a Isso porque a aceitação do projeto por parte da sociedade, dos operadores de aeroportos e das companhias aéreas foi tão positiva que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) também avança na expansão do projeto de reconhecimento facial também para tripulantes.

 

EXPANSÃO – Com os resultados obtidos até o momento, o MInfra já trabalha na implantação definitiva do serviço. Ao mesmo tempo, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) estuda a possibilidade de expandir o projeto de reconhecimento facial para tripulantes das companhias aéreas.

“Essa ideia foi muito bem recebida pelo Ministério da Infraestrutura. Acreditamos que no futuro todos os acessos, inclusive das áreas restritas ou na aeronave, serão feitos através da utilização dessa tecnologia. Teremos o uso dessa tecnologia ao longo de todo o processo. Esse é o futuro da aviação civil. Aliás, é o presente”, ponderou a diretora do Departamento de Planejamento e Gestão da Secretaria de Aviação Civil do MInfra, Fabiana Todesco.

COMO FUNCIONA – No momento do check-in no aeroporto, o passageiro é convidado a participar do projeto Embarque + Seguro 100% Digital. Após concordar, a pessoa recebe uma mensagem, no celular informado por ela, solicitando autorização para a obtenção de seus dados, incluindo CPF e uma foto.

Com o consentimento, o atendente da companhia aérea, usando o aplicativo desenvolvido pelo Serpro, realiza a validação biométrica do cidadão, comparando os dados e a foto, tirada na hora, com as bases governamentais.

A partir da validação, o passageiro fica liberado para ingressar na sala de embarque e na aeronave passando pelos pontos de controle biométricos, que fazem a identificação por meio de câmeras, sem a necessidade de o usuário apresentar documento e cartão de embarque.

 

Fonte: AeroIn